Artigo

Que tipos de açúcar existem?

O consumo de açúcar exacerbado tem sido frequentemente associado à cariogénese, obesidade, diabetes mellitus tipo 2, síndrome metabólica, aumento de triglicerídeos e esteatose hepática. Nesse sentido, e com vista a reduzir o seu consumo, surgem os substitutos do açúcar: adoçantes naturais e adoçantes artificiais

Os adoçantes artificiais são substitutos sintéticos do açúcar comummente utilizados em alimentos como refrigerantes, doces, pudins, geleias, lacticínios. Entre eles destacam-se o Acessulfame de Potássio, a Sacarina, o Aspartame, a Sucralose e o Ciclamato. Não obstante, estes adoçantes possuem um poder adoçante muito superior ao açúcar, não contêm calorias e não alteram as glicemias. Muito embora possam ser utilizados como alternativa ao açúcar no controlo de peso e na diabete, alguns estudos evidenciam que estão associados a efeitos metabólicos adversos, como resistência à insulina, obesidade e desequilíbrio da microbiota intestinal.

No que respeita aos adoçantes naturais destacam-se os Polióis (Sorbitol, Manitol, Xilitol, Maltitol), o Agave, o Mel, o Açúcar de Coco e a Stevia. Estes adoçantes, contrariamente aos adoçantes artificiais, contêm calorias mas menos do que o açúcar (400kcal/100g). Os Polióis são álcoois de açúcar, produzidos naturalmente em certas plantas ou frutas e estão maioritariamente presentes nos chocolates, compotas e pastilhas elásticas. O Agave é um xarope produzido a partir de uma planta, contém cerca de 312kcal/100g e tem um baixo índice glicémico (15), contudo quando consumido em elevadas quantidades pode contribuir para o aumento da resistência à insulina. Por sua vez, o Mel é dos adoçantes mais rico em micronutrientes apresentando propriedades antioxidantes e prébioticas. Tem um índice glicémico inferior ao do açúcar, todavia, tal como os demais adoçantes naturais, contém calorias (300kcal/100g), podendo igualmente contribuir para o ganho de peso, aumento dos triglicerídeos e diabetes mellitus tipo 2. Na categoria das geleias destaca-se o xarope de tâmaras que é uma das alternativas com menos calorias (270kcal/100g) e menor índice glicémico. O Açúcar de Côco contém cerca de 320 kcal/100g e apresenta na sua constituição vários micronutrientes, antioxidantes e fibra. Por último, a Stevia é um adoçante extraído de uma planta e utilizado em refrigerantes, sumos, lacticínios, doces e chocolates. Este não possui praticamente calorias e tem um índice glicémico inferior a 1, podendo ser uma excelente alternativa ao açúcar nomeadamente para indivíduos com diabetes mellitus tipo 2, grávidas e crianças.

Em conclusão, o uso de adoçantes naturais que apresentam efeitos benéficos no controlo do peso e no metabolismo podem ser uma alternativa ao uso do açúcar simples. Contudo, limitar o consumo de qualquer tipo adoçante, inclusive do açúcar simples, será sempre a melhor escolha.